segunda-feira, 27 de abril de 2009

Mosaico romano - Alter do Chão

Primeira informação da descoberta no JN:

Descoberto mosaico romano do século IV
JN – 2009.Fev.02 / 00h15m HUGO TEIXEIRA *
Um mosaico romano, de grandes dimensões e "único" na Península Ibérica, foi descoberto durante os trabalhos de arqueologia que decorrem na cidade romana de Abelterium, em Alter do Chão, revelou o arqueólogo responsável.
Em declarações à agência Lusa, Jorge António, arqueólogo na Câmara Municipal de Alter do Chão, considerou o mosaico "único na Península Ibérica" e garantiu que a descoberta se reveste de "extraordinária importância".
Esta peça arqueológica, que remonta ao século IV, foi encontrada há cerca de um ano, mas só agora foi divulgada, mantendo-se durante todo este tempo no "segredos dos deuses".
O mosaico foi achado na sequência das escavações efectuadas às termas públicas da cidade romana de Abelterium, também denominada de Estação Arqueológica de Ferragial d'El Rei, naquele concelho do Norte Alentejano.
"À medida que os trabalhos decorriam nas termas da cidade romana, a equipa de arqueólogos descobriu uma casa de um "aristocrata ou político".
"Nós identificámos o mosaico no triclínio da casa", disse o especialista, garantindo que era nesse espaço, onde está inserida a peça de grandes dimensões, que o proprietário recebia "as suas visitas".
"É um mosaico figurativo, onde surge a figura da Medusa como figura central. O mosaico é uma representação homérica, da Ilíada [poema épico grego atribuído a Homero], mas ainda existe pela frente um grande trabalho de fundo para conhecer melhor esta peça", salientou o arqueólogo.
Jorge António revelou ainda que o mosaico possui "pasta vítrea em tons de azul, verde e bordeaux". "Este mosaico vai trazer, no futuro, vários visitantes a Alter do Chão", assegurou o arqueólogo.
Já o presidente da Câmara Municipal de Alter do Chão, Joviano Vitorino, afiançou à Lusa que pretende ver aquela peça, assim como toda a cidade romana de Abelterium classificada como "Património Nacional".
Alter do Chão tem "um grande passado romano e vamos efectuar todas os esforços necessários para tornar este espaço Património Nacional", defendeu.
De acordo com Joviano Vitorino, a cidade romana "é mais um pólo de atracção" para que os turistas visitem aquela vila alentejana.
As ruínas da antiga cidade romana, onde vão continuar a ser realizadas escavações arqueológicas, porque "muito há ainda por descobrir", segundo o arqueólogo Jorge António. Vão ser abertas ao público a partir de 21 de Maio, dia do Município de Alter do Chão.

* Jornalista da Agência Lusa

Sem comentários:

Publicar um comentário